quarta-feira, 22 de dezembro de 2010

Natal é celebrado com missas nos setores

O encerramento das novenas de natal este ano nos setores da sede está sendo celebrado com a santa Missa. Entre os dias 20 e 23 de dezembro o padre Oriosvaldo está celebrando nos "quatro cantos da cidade". A primeira Missa foi celebrada no CRAS, 20/12, na Vila Neto Carvalho, abrangendo os setores 2 e 7. Ontem a Eucaristia aconteceu no setor 1, na Gaveta. Hoje será celebrada a missa para os setores 4, 5 e 6, na Avenida Getúlio Vargas, na praça próxima ao comércio do Antônio Maria Ferreira. Amanhã, 23/12, será a vez do setor 6, com a Missa na quadra esportiva da Vila Badá Coelho, próxima ao posto Triângulo.
Dia 24 e 25 as Missas ocorrerão na Igreja Mãe do Salvador e nas comunidades Melancias e Curalinho.
Consulte mais informações na Agenda Paroquial.

segunda-feira, 20 de dezembro de 2010

Deus cumpre suas promesas. E nós?

O Natal se aproxima, e mais uma vez celebraremos o nascimento de Jesus, o Messias prometido. Todo ano é assim, aguardamos com grande expectativa esse momento. Na liturgia de ontem, ouvimos que  Deus promete um sinal através do profeta: "Eis que uma virgem conceberá e dará a luz a um filho que se chamará Emanuel, Deus Conosco". E esta promessa se cumpre, como também ouvimos no evangelho de São Mateus.

Para nós cristãos é muito importante esse momento, celebrar e festejar o nascimento de Jesus. Falamos de paz, de solidariedade, de amor, estreitamos os laços familiares, organizamos belas ceias, damos presentas, desejamos votos e até fazemos promessas de melhorar nossas atitudes. Tudo isso é muito bom e oportuno. O espírito natalino é uma maravilha. O problema é que na maioria das vezes ficamos só no discurso. E, ao passar o natal, continuamos as mesmas pessoas, com os mesmos pensamentos, com as mesmas atitudes quem nem sempre são cristãs.

Como já disse, Deus é fiel e cumpre suas promessas. A maior delas foi enviar seu Filho unigênito para nos libertar do pecado e nos dar a salvação. Já nós ainda estamos um pouco distantes de cumprir as nossas promessas, pois precisamos ultrapassar a linha das boas intenções.

É chegada a hora de darmos um sim mais profundo a Deus, a exemplo do sim de Maria e do sim de José. O Advento, o Natal e as demais festas litúrgicas são mais uma oportunidade que Deus nos dá de aderirmos ao seu projeto de salvação.

sexta-feira, 3 de dezembro de 2010

Advento: tempo de vigília

Imagem do site
 http://www.coracaodemaria.org.br/
No domingo passado começamos mais um ano litúrgico, o ano A, do evangelho de São Mateus. A cada ano que chega renovamos a fé e a esperança no Senhor Jesus. É advento, tempo de espera, tempo de vigília, de expectativa, é o Senhor que vai chegar. Essa vigília tem dois aspectos: a espera pelo natal e também pela segunda vinda de Jesus. O próprio Cristo nos adverte: "Vigiai, pois, porque não sabeis o dia nem a hora em que o Filho do homem há de vir." (Mt 25,13).

Mas afinal, como deve ser essa espera? O que é essa vigília? Certamente cada um responderia de uma forma e teríamos assim inúmeras respostas que não iriam fugir do sentido verdadeiro. Mas é importante atentar para um aspecto principal, a vivência do evangelho. É na prática do evangelho que estaremos vigiando. Jesus diz que o homem sábio é aquele que constrói a sua casa na rocha, isto é, que ouve as palavras de Cristo e as põe em prática. Fazendo assim, nada irá derrubar sua casa.

As palavras de Jesus são para deixar-nos sempre alerta, pois Ele não nos quer longe de sua graça. Todo dia é dia deve ser um advento para nós. Cabe sempre as perguntas: eu pratico o evangelho? Eu vivo a misericórdia, o perdão, a fé, a união? Eu pratico a justiça que Cristo me ensinou? Será se o que faço é o bastante? Às vezes cumprimos parte de nossa missão e já pensamos que fazemos tudo e que por isso somos dignos de alcançar a salvação eterna.

É preciso ter cuidado com essa zona de conforto, porque em muitos momentos Jesus passa perto de nós e não o enxergamos. Estamos tão preocupados com o Cristo todo poderoso, enquanto ele se aproxima de nós como o mais humilde dos seres. Ele está nos pobres, nos humildes, nos que choram, nos que clamam por justiça. Por isso é que não se pode pensar um cristianismo destituído da caridade, do amor fraterno, da justiça.

Olhando o exemplo dos santos e principalmente do próprio Cristo, nós vemos a verdadeira dimensão do amor, que não se limita a palavras bonitas, mas traz para a vida o sentido e as consequências dessas palavras. Como Jesus diz, não basta dizer Senhor, Senhor. É preciso vivenciar sua palavra. Nós, se nos colocamos como servos Deus e seguidores de Cristo, devemos dizer sempre a nós mesmos: não estou com "essa bola toda" pois fiz apenas o que devia fazer, ou pior, nem isso. O advento litúrgico acaba no domingo anterior à celebração do natal, porém, o advento como vigília constante da nossa conduta deve continuar sempre.

quarta-feira, 24 de novembro de 2010

Festejo de São Sebastião será na igreja Santo Antônio


Em reunião na noite de ontem, na igreja Mãe do Salvador, os paroquianos representantes de setores, movimentos e pastorais, juntamente com o padre Oriosvaldo decidiram que festejo de São Sebastião ficará na igreja Santo Antônio. O acordo saiu após o padre propor a construção de uma concha acústica e um local pra abrigar os fiéis na praça da igreja. A proposta, no entanto, fica condicionada ao compromisso de todos trabalharem em prol do projeto. “Se não houver compromisso e trabalho para construirmos o projeto, a festejo virá para igreja Mãe do Salvador”, declarou o padre.

A partir de 2011 deverá ser formulado o projeto para que nos próximos anos a festa de São Sebastião continue acontecendo nas proximidades da igreja Santo Antônio.

O festejo estava previsto para acontecer na igreja Mãe do Salvador, devido a estrutura da igreja Santo Antônio não acomodar todos os fiéis durante as novenas, fazendo com que a festa acontecesse na praça e não na igreja. A proposta obteve adesão de muitos fiéis, mas também ganhou a resistência de outros, o que gerou uma polêmica em torno do assunto.

O padre divulgou uma nota de esclarecimento explicando os motivos da mudança, entre os quais estaria preservar a dignidade do culto que estava sendo prejudicada nas missas campais na praça sob o risco constante das chuvas do mês de janeiro e também dos insetos que ficavam em torno do altar. Mesmo assim a polêmica continuou.

Houve uma proposta de construção de uma igreja para São Sebastião, com o apoio da prefeitura. Mas também seria necessário construí-la em um outro local, o que mudaria de qualquer forma o lugar das celebrações.

Com a nova ideia, mantêm-se a tradição, a dignidade do culto e a unidade da Igreja. O padre deixou claro que não mudou sua posição para agradar um ou outro grupo, mas porque surgiu uma ideia que concilia todos os interesses. “Se eu quisesse trazer o festejo pra igreja Mãe do Salvador eu o traria, porque tenho autoridade para isso. Inclusive o bispo me deu o seu aval. Mas estamos mudando porque temos um projeto que é muito bom, que é fruto do diálogo e da luz do Espírito Santo.

Na reunião também ficou decidido alguns pontos da organização do festejo como a abertura, que será com uma procissão luminosa saindo do início da Avenida GeTúlio Vargas até a igreja Santo Antônio, e os prêmios que serão colocados no bingo.

Em breve divulgaremos a programação do Festejo.

terça-feira, 16 de novembro de 2010

Bispo visita Magalhães de Almeida

O novo bispo de Brejo, Dom José Valdeci Santos Mendes, visitou neste último fim de semana a paróquia de Magalhães de Almeida pela primeira vez. Dom Valdeci foi recebido na sexta-feira (12/11) com um café da manhã, onde estiveram presentes o prefeito da cidade, Neto Carvalho, a secretária de educação, Alaíde Carvalho, dentre outras autoridades civis e também os representantes de setores e agentes de pastoral da paróquia. Magalhães de Almeida é a primeira paróquia da diocese de Brejo em que D. Valdeci realiza a crisma.


Durante a visita, o bispo ministrou palestras para os crismandos da sede e das comunidades de Melancias, Alto do cedro e Bacuri.

Dom Valdeci se mostrou contente com a receptividade e com o trabalho dos catequsitas da nossa paróquia. "Pra mim eu acho muito importante, sobretudo, valioso este despertar dos catequistas na sua humildade, na sua simplicidade, mas se colocando nessa inteira disponibilidade e também como a vida da comunidade. Também a convivência, por exemplo, ontem, o café da manhã onde tinha várias pessoas. É nessa experiência de comunhão que nós crescemos, na medida em que a gente vivencia esta fraternidade", disse.

No sábado à noite foi realizada a crisma na comunidade Melancias. Domingo, dia 14 pela manhã, foi vez dos crismandos de Alto do Cedro e Bacuri receberem o sacramento da confirmação na comunidade Bacuri. E à noite, em Missa solene, o bispo crismou em Magalhães de Almeida. Após a missa, foi realizado um jantar comunitário para os crismados, pais e padrinhos, juntamente com o bispo e o pároco, Pe. Oriosvaldo.


O bispo destacou a importância do sacramento da confirmação para a comunidade: "a crisma na comunidade é um momento de alegria, mas, sobretudo, um momento de esperança na caminhada da comunidade. Os crismados são aqueles que deverão dar testemunho e ajudar na caminhada da comunidade e na missão". Ele também enfatizou que "o crismado é aquele maduro na fé, e assim ele é capaz e é chamado a dar esse testemunho na comunidade, evangelizado, anunciando, fazendo esse papel de discípulos e discípulas de Jesus Cristo".







sexta-feira, 5 de novembro de 2010

Discurso do papa Bento XVI aos bispos do Regional NE5 da CNBB em visita Ad limina

Em visita ad limina apostolorum, os bispos do Regional Nordeste 5 da CNBB (estado do Maranhão) foram recebidos em audiência pelo papa Bento XVI, que foi saudado pelo bispo emérito de Viana (MA), dom Xavier Gilles, ex-presidente do Regional.

"Lendo os vossos relatórios, pude dar-me conta dos problemas de caráter religioso e pastoral, além de humano e social, com que deveis medir-vos diariamente. O quadro geral tem as suas sombras, mas tem também sinais de esperança", disse o papa.

São 14 os bispos que participam da visita, que termina no sábado, 30. Na agenda do episcopado maranhense há visitas aos dicastérios da Santa Sé, dentre outros compromissos. Ontem eles celebraram missa na Basílica de São Paulo Fora dos Muros.

Leia, abaixo, a íntegra do discurso do papa.

Amados irmãos no episcopado,

«Para vós, graça e paz da parte de Deus, nosso Pai, e do Senhor Jesus Cristo» (2 Cor1, 2). Desejo antes de mais nada agradecer a Deus pelo vosso zelo e dedicação a Cristo e à sua Igreja que cresce no Regional Nordeste 5. Lendo os vossos relatórios, pude dar-me conta dos problemas de caráter religioso e pastoral, além de humano e social, com que deveis medir-vos diariamente. O quadro geral tem as suas sombras, mas tem também sinais de esperança, como Dom Xavier Gilles acaba de referir na saudação que me dirigiu, dando livre curso aos sentimentos de todos vós e do vosso povo.

Como sabeis, nos sucessivos encontros com os diversos Regionais da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil, tenho sublinhado diferentes âmbitos e respectivos agentes do multiforme serviço evangelizador e pastoral da Igreja na vossa grande Nação; hoje, gostaria de falar-vos de como a Igreja, na sua missão de fecundar e fermentar a sociedade humana com o Evangelho, ensina ao homem a sua dignidade de filho de Deus e a sua vocação à união com todos os homens, das quais decorrem as exigências da justiça e da paz social, conforme à sabedoria divina.

Entretanto, o dever imediato de trabalhar por uma ordem social justa é próprio dos fiéis leigos, que, como cidadãos livres e responsáveis, se empenham em contribuir para a reta configuração da vida social, no respeito da sua legítima autonomia e da ordem moral natural (cf. Deus caritas est, 29). O vosso dever como Bispos junto com o vosso clero é mediato, enquanto vos compete contribuir para a purificação da razão e o despertar das forças morais necessárias para a construção de uma sociedade justa e fraterna. Quando, porém, os direitos fundamentais da pessoa ou a salvação das almas o exigirem, os pastores têm o grave dever de emitir um juízo moral, mesmo em matérias políticas (cf. Gaudium et spes, 76).

Ao formular esses juízos, os pastores devem levar em conta o valor absoluto daqueles preceitos morais negativos que declaram moralmente inaceitável a escolha de uma determinada ação intrinsecamente má e incompatível com a dignidade da pessoa; tal escolha não pode ser resgatada pela bondade de qualquer fim, intenção, conseqüência ou circunstância. Portanto, seria totalmente falsa e ilusória qualquer defesa dos direitos humanos políticos, econômicos e sociais que não compreendesse a enérgica defesa do direito à vida desde a concepção até à morte natural (cf. Christifideles laici, 38). Além disso no quadro do empenho pelos mais fracos e os mais indefesos, quem é mais inerme que um nascituro ou um doente em estado vegetativo ou terminal? Quando os projetos políticos contemplam, aberta ou veladamente, a descriminalização do aborto ou da eutanásia, o ideal democrático – que só é verdadeiramente tal quando reconhece e tutela a dignidade de toda a pessoa humana – é atraiçoado nas suas bases (cf. Evangelium vitæ, 74). Portanto, caros Irmãos no episcopado, ao defender a vida «não devemos temer a oposição e a impopularidade, recusando qualquer compromisso e ambigüidade que nos conformem com a mentalidade deste mundo» (ibidem,82).

Além disso, para melhor ajudar os leigos a viverem o seu empenho cristão e sócio-político de um modo unitário e coerente, é «necessária — como vos disse em Aparecida — uma catequese social e uma adequada formação na doutrina social da Igreja, sendo muito útil para isso o "Compêndio da Doutrina Social da Igreja"» (Discurso inaugural da V Conferência Geral do Episcopado Latino-Americano e do Caribe, 3). Isto significa também que em determinadas ocasiões, os pastores devem mesmo lembrar a todos os cidadãos o direito, que é também um dever, de usar livremente o próprio voto para a promoção do bem comum (cf. Gaudium et spes 75).

Neste ponto, política e fé se tocam. A fé tem, sem dúvida, a sua natureza específica de encontro com o Deus vivo que abre novos horizontes muito para além do âmbito próprio da razão. «Com efeito, sem a correção oferecida pela religião até a razão pode tornar-se vítima de ambigüidades, como acontece quando ela é manipulada pela ideologia, ou então aplicada de uma maneira parcial, sem ter em consideração plenamente a dignidade da pessoa humana» (Viagem Apostólica ao Reino Unido, Encontro com as autoridades civis, 17 de setembro de 2010).

Só respeitando, promovendo e ensinando incansavelmente a natureza transcendente da pessoa humana é que uma sociedade pode ser construída. Assim, Deus deve «encontrar lugar também na esfera pública, nomeadamente nas dimensões cultural, social, econômica e particularmente política» (Caritas in veritate, 56). Por isso, amados Irmãos, uno a minha voz à vossa num vivo apelo a favor da educação religiosa, e mais concretamente do ensino confessional e plural da religião, na escola pública do Estado

Queria ainda recordar que a presença de símbolos religiosos na vida pública é ao mesmo tempo lembrança da transcendência do homem e garantia do seu respeito. Eles têm um valor particular, no caso do Brasil, em que a religião católica é parte integral da sua história. Como não pensar neste momento na imagem de Jesus Cristo com os braços estendidos sobre a baía da Guanabara que representa a hospitalidade e o amor com que o Brasil sempre soube abrir seus braços a homens e mulheres perseguidos e necessitados provenientes de todo o mundo? Foi nessa presença de Jesus na vida brasileira, que eles se integraram harmonicamente na sociedade, contribuindo ao enriquecimento da cultura, ao crescimento econômico e ao espírito de solidariedade e liberdade.

Amados Irmãos, confio à Mãe de Deus e nossa, invocada no Brasil sob o título de Nossa Senhora Aparecida, estes anseios da Igreja Católica na Terra de Santa Cruz e de todos os homens de boa vontade em defesa dos valores da vida humana e da sua transcendência, junto com as alegrias e esperanças, as tristezas e angústias dos homens e mulheres da província eclesiástica do Maranhão. A todos coloco sob a Sua materna proteção, e a vós e ao vosso povo concedo a minha Benção Apostólica.

Quinta-feira, 28 de outubro de 2010
Papa Bento XVI

Fonte: http://www.cnbbne5.org.br/?system=news&action=read&id=1087&eid=231

segunda-feira, 1 de novembro de 2010

V Cerco de Jericó

Entre os dias 04 e 11 de novembro acontece, na Igreja Mãe do Salvador, o V Cerco de Jericó. Serão sete dias de muita oração, louvor e adoração diante de Jesus presente no Santíssimo Sacramento. Este ano o evento tem como tema “Revesti-vos da armadura de Deus” (Ef. 6,11). A programação diária é de 24 horas, envolvendo a participação dos movimentos e ministérios da nossa paróquia com as seguintes atividades: Terço da Libertação, Terço dos Homens, Terço Mariano, Terço da Misericórdia, Terço do Espírito Santo, Terço da Providência, Mãos Ensangüentadas, Ofício e Cenáculo com Maria. Haverá missas todos os dias às 19h30.

O cerco de Jericó é uma campanha de sete dias, tendo como inspiração o capítulo 6 do livro de Josué. Naquele momento o povo de Israel se via diante das muralhas de Jericó, não podendo ninguém entrar nem sair da cidade. Josué seguiu a voz de Deus e, juntamente com o povo, rezou sete dias e sete noites cercando a cidade de Jericó. No sétimo dia as muralhas caíram e o povo pôde adentrar na cidade e conquistá-la.

Hoje, diante de tantos desafios, a Igreja ora pela libertação dos seus filhos e de todas as pessoas, pedindo as graças e bênçãos de Deus para um mundo melhor e de paz.

Confira a Programação

segunda-feira, 18 de outubro de 2010

Agenda paroquial

Já está disponível na agenda paroquial do nosso blog o roteiro com a visita do bispo D. Valdeci à nossa paróquia.
Acompanhe a agenda paroquial no menu "Agenda paroquial" ou clique aqui.

quarta-feira, 13 de outubro de 2010

Nota de esclarecimento

Caríssimos irmãos e irmãs de Magalhães de Almeida e região, vimos por meio desta esclarecer os motivos que nos levaram a mudar o Festejo de São Sebastião da Igreja Santo Antônio para a Igreja Mãe do Divino Salvador.

Temos plena e total consciência do que representa a festa de São Sebastião para a população da nossa cidade, do interior e até mesmo dos municípios vizinhos. E foi pensando no bem estar dos católicos que participam dessa festa que a paróquia achou por bem mudar o local das celebrações durante o festejo.

Sabemos que a Igreja Santo Antônio é a matriz de nossa paróquia e sempre foi o local de realização da festa de São Sebastião. Mas devido ao crescimento da população, o espaço ficou reduzido para acomodar os fiéis nas celebrações de grande público. Durante a festa de São Sebastião, quase todas as missas são celebradas na praça da igreja, pois o espaço interno é insuficiente para acomodar as pessoas. Ficamos, então, expostos aos fenômenos naturais, tendo que estar sempre atentos se vai chover ou não durante as missas, como já aconteceu de molhar a hóstia durante a consagração, mosquitos e cascudo que trazem muitos transtornos. Isso sem contar no trabalho de deslocar todos os dias o sistema de som, mesas, andor do santo e outros materiais para fora e para dentro da igreja. Os bancos também se desgastam mais facilmente, pois ficam expostos ao sol e às chuvas durante dez dias.

Tudo isso seria compreensível se não dispuséssemos de um lugar mais adequado para a festa. Sendo assim, a Igreja Mãe do Salvador se apresenta como o local mais apropriado para a realização do festejo de São Sebastião, pois dispõe de espaço para acomodar um maior número de pessoas, visto também que não será necessário o translado do sistema de som e demais materiais necessários para as celebrações. Conta também o fato de a Igreja estar localizada na região central, o que facilita o deslocamento de pessoas de todos os pontos da cidade.

Cabe lembrar também que a festa principal é celebrada no coração de cada católico que participa e faz acontecer o festejo de São Sebastião. A mudança ocorre apenas no espaço físico, por uma questão de ordem prática e de bom senso. A tradição continua inalterada, pois toda mudança é pensada com o intuito de melhorar. Sabemos que em nenhuma decisão existe unanimidade, mas é necessário pensar no bem maior de todos.

Inicialmente, consultamos o conselho paroquial e este aprovou a mudança por ampla maioria. No último domingo, informamos aos presentes na Missa da noite, realizada na igreja Mãe do Salvador, e também a maioria se mostrou favorável.

Houve uma segunda proposta de ampliar a Igreja Santo Antônio. No entanto, para ampliação da Igreja Santo Antônio é necessário derrubar a igreja por completo e não podemos fazer isso, porque seria passar uma borracha na história da Igreja Católica de Magalhães de Almeida e da Paróquia de Santo Antônio, porque Santo Antônio é o padroeiro e a igreja Santo Antônio é a matriz de Santo Antônio e não de São Sebastião.

A paróquia continuará sendo paróquia de Santo Antônio, a data do festejo de São Sebastião continuará sendo a mesma data de 20 a 30 de janeiro e o grupos que se reúnem na Igreja Santo Antônio continuarão se reunindo na Igreja Santo Antônio.

São Sebastião não é o padroeiro de nossa paróquia, o padroeiro é Santo Antônio.

São Sebastião foi festejado durante muito tempo na casa de Santo Antônio, seu irmão na fé, porque não tínhamos outro templo para celebramos o festejo de São Sebastião, e os nossos fiéis eram obrigados a ficar na chuva. Agora temos o templo grande, espaçoso e bonito para acolher o festejo de São Sebastião com todos os nossos fieis. A partir do próximo ano seu festejo será na casa de Nossa Senhora Mãe do Salvador e nossa mãe. É de se pensar que todo filho gosta de festejar na casa de sua mãe. Com São Sebastião não é diferente. Ele certamente aprova esta mudança, pois deseja que todos se sintam bem ao festejá-lo.

Magalhães de Almeida – MA, 11 de outubro de 2010

Paróquia Santo Antônio

sexta-feira, 1 de outubro de 2010

Diocese de Brejo participa do Seminário de Gestão do Regional Nordeste IV


Foto Divulgação: Seminário de Gestão Eclesial

Foi realizado entre os dias 27 e 29 de setembro, em Teresina (PI), o Seminário de Gestão Eclesial promovido pelo Regional Nordeste IV da CNBB. O encontro visou promover a atualização dos setores administrativos, contábeis, jurídicos e trabalhistas das instituições eclesiais e sem fins lucrativos. Aproximadamente 230 pessoas, entre elas, bispos, padres, religiosos, leigos e seminaristas das dioceses do Maranhão, Piauí e Minas Gerais participaram do encontro. A diocese de Brejo esteve representada pelo bispo Dom José Valdeci, Pe. Oriosvaldo, pároco de Magalhães de Almeida, Ir. Lúcia, de Brejo e Pe. Antônio Neto, pároco de Duque Bacelar.

O secretário executivo do Regional Nordeste 4, padre Luiz Eduardo, explica a finalidade do evento: “O objetivo principal é capacitar os profissionais do trabalho administrativo, financeiro e jurídico das entidades ligadas à Igreja, além de paróquias, cúrias e dioceses, oferecendo informações para realização das atividades de forma coerente com as exigências da legislação vigente no Brasil”.

Durante o encontro os participantes expuseram suas dúvidas, através de perguntas e casos práticos, e conheceram melhor o diz a legislação brasileira nos diversos aspectos que envolvem a administração eclesial.

De acordo com ecônomo da CNBB, Dr. Francisco Julho, que também assessorou o seminário, um dos objetivos é transformar as discussões do evento em um manual de perguntas e repostas a partir da experiência de cada regional que recebeu as palestras. Assessorou também o encontro, os advogados da CNBB, doutor Hugo Sarubbi Cysneiros de Oliveira e Marta Maria Ferreira Azevedo.

Por José Claudio (com dados do site de CNBB)

domingo, 26 de setembro de 2010

Reflexão do evengelho do dia 26.09.2010

Comentário ao Evangelho do dia feito por :

São João Crisóstomo (c. 345-407), presbítero em Antioquia, depois Bispo de Constantinopla, Doutor da Igreja
Homílias sobre o Evangelho de Mateus, n°50, 3-4 (a partir da trad. breviário)

Reconhecer Cristo no pobre

Queres honrar o Corpo de Cristo? Então não O desprezes nos seus membros, isto é, nos pobres que não têm que vestir, nem O honres no templo com vestes de seda, enquanto O abandonas lá fora ao frio e à nudez. Aquele que disse: «Isto é o Meu Corpo» (Mt 26, 26), e o realizou ao dizê-lo, é o mesmo que disse: «Porque tive fome e não Me destes de comer» (cf. Mt 25, 35); e também: «Sempre que deixastes de fazer isto a um destes pequeninos, foi a Mim que o deixastes de fazer» (Mt 25, 42.45). Aqui, o corpo de Cristo não necessita de vestes, mas de almas puras; além, necessita de muitos desvelos. [...] Deus não precisa de vasos de ouro, mas de almas que sejam de ouro.

Não vos digo isto para vos impedir de fazer doações religiosas, mas defendo que simultaneamente, e mesmo antes, se deve dar esmola. [...] Que proveito resulta de a mesa de Cristo estar coberta de taças de ouro, se Ele morre de fome na pessoa dos pobres? Sacia primeiro o faminto, e depois adornarás o Seu altar com o que sobrar. Fazes um cálice de ouro e não dás «um copo de água fresca»? (Mt 10, 42). [...] Pensa que se trata de Cristo, que é Ele que parte errante, estrangeiro, sem abrigo; e tu, que não O acolheste, ornamentas a calçada, as paredes e os capiteis das colunas, prendes com correntes de prata as lâmpadas, e a Ele, que está preso com grilhões no cárcere, nem sequer vais visitá-Lo? [...] Não te digo isto para te impedir de tal generosidade, mas exorto-te a que a acompanhes ou a faças preceder de outros actos de beneficência. [...] Por conseguinte, enquanto adornas a casa do Senhor, não deixes o teu irmão na miséria, pois ele é um templo e de todos o mais precioso.

sexta-feira, 10 de setembro de 2010

Paróquia se inscreve no Vozes da Igreja

A nossa paróquia se inscreveu no concurso Vozes da Igreja, promovido pela TV Aparecida. Cada paróquia deve compor uma música e enviar para o programa. As dez finalistas irão em caravana a Aperecida do Norte participar do programa e a vencedora levará o prêmio de R$ 10.000,00 para investir na comunidade.
Mas para chegar até lá é preciso mostrar unidade e participação de todos. Conta pontos para a paróquia se seus membros se increverem no site e mostrarem participação.
A paróquia Santo Antônio já tem seu blog no site Vozes da Igreja. Entre lá, se inscreva, faça parte do nosso perfil e participe. Para criar um perfil, entre no site ou clique aqui: http://www.vozesdaigreja.com/comunidades/register e registre-se. Vamos fazer uma bela música pra Nossa Senhora.

quinta-feira, 9 de setembro de 2010

Fique informado da agenda paroquial

"O que quereis que os homens vos façam, fazei-o também a eles". (Lc. 6,31)

          O evangelho de hoje é com certeza um dos maiores desafios do cristão, buscar de si mesmo o que se exige dos outros. Como fazer o bem a quem nos faz o mal? Como rezar pelos que nos caluniam? Como ser solícito a quem nos prejudica? São questionamentos que a razão humana dificilmente irá compreender. Em tempos de "toma lá, dá cá", impera a lei da reciprocidade, seja para o bem, seja para o mal. Nesse sentido, este evangelho parece algo distante da nossa realidade, até mesmo dos que já estão há anos na igreja.
          Aos olhos de muitos, soam injustas as palavras de Jesus. É como se tivéssemos que ir contra nossas próprias limitações, que não admitem insultos. Na verdade, Jesus nos coloca diante de um desafio que contraria toda lógica de vingança. O que parece absurdo diante dos homens é sabedoria diante de Deus. Dessa forma, as palavras de Jesus tem um propósito básico: que saibamos compreender as fraquezas do próximo e, a partir daí, façamos aquilo que gostaríamos que fizessem conosco.
          Compreensão. Está aí talvez a palavra-chave para não reagirmos sempre com vingança a quem nos faz mal. Pensar porque fulano fez o que fez, disse o que disse ou agiu de determinada forma, seria o princípio básico da compreensão. Se colocar no lugar do outro, ou mesmo reconhecer as diferenças de comportamento, cultura, personalidade etc, nos ajudaria bastante nesse processo.
          Tudo se resume nessas palavras: "O que quereis que os homens vos façam, fazei-o também a eles". (Lc. 6,31). Com essas palavras, Jesus amplia o provérbio popular que diz: "não façais aos outros aquilo que não quereis que façam a você", dando  uma dimensão muito mais profunda. Ao invés de apenas ensinar a não fazer o mal, Jesus nos ensina a fazer bem a todos, até mesmo a quem nos persegue. O prórpio Cristo deu exmplo quando, na cruz, perdoou os seus torturadores. Portanto, buscar seguir o evangelho de hoje é a maior expressão de liberdade que poderíamos ter, pois sairíamos do óbvio e viveríamos a essência do cristianismo, o amor.

sexta-feira, 3 de setembro de 2010

Dom Valdeci acerta visita a Magalhães de Almeida

Em reunião, na manhã desta quarta-feira, dom Valdeci e pe. Oriosvaldo acertaram a data da primeira visita do novo bispo à nossa paróquia. Será entre os dia 12 e 14 de novembro deste ano. Na ocasião, dom Valdeci irá ministrar palestras e realizar crismas na sede e nas comunidades.
Aguarde. Em breve será divulgada a programação com o roteiro da visita de dom Valdeci a Magalhães de Almeida.

terça-feira, 31 de agosto de 2010

Discurso de padre Isaque na posse de dom Valdeci

     Na missa de posse de dom Valdeci, padre Isaque e padre Jovanês deram as boas vindas a dom Valdeci. Padre Isaque preparou um discurso minuncioso em que mostra os desafios da diocese, declara o apoio do clero ao novo bispo e demonstra confiança no novo ciclo que se inicia. Vale a pena conferir:
Pe. Isaque Marques

"DISCURSO DE POSSE DE DOM VALDECIR EM BREJO AOS 28/08/2010



Caros: Dom Valdecir, Dom Valter, Dom Xavier, Dom Reinaldo, Dom Belizário, irmãos no Sacerdócio, povo de Deus aqui reunido!

Neste dia 28 de agosto de 2010, a Igreja Católica escreve mais um capítulo de sua vasta história no mundo ao empossar neste recanto do maranhão e do Brasil, mas particularmente na Diocese de Brejo seu terceiro bispo diocesano, o maranhense, coroataense, Dom Valdecir Mendes.

Meus irmãos há apenas oito dias na cidade de Arari pela imposição das mãos de Dom Reinaldo Punder, bispo diocesano de Coroatá, de Dom Valter, então, bispo administrador de Brejo, de Dom Xavier, bispo administrador de Viana e de mais bispos ali presentes Dom Valdecir até então Monsenhor Valdecir, foi ordenado Bispo com o encargo pastoral para com a Igreja particular que lhe foi confiada, a Igreja de Brejo. “Assim foi conferido a Dom Valdecir o ápice do ministério sagrado, a plenitude do sacramento da Ordem, conforme ensina O Concílio Vaticano II lembrado no nº. 1557 do Catecismo da Igreja Católica”.

No que diz respeito à realidade geográfica, sócio - política, econômica e religiosa da nossa diocese, não deve ser algo estranho para Dom Valdecir haja vista que tal realidade em alguns aspectos pouco difere da realidade das demais dioceses deste Maranhão, principalmente no que concerne ao social, ao político e ao econômico. Neste sentido o que discorrerei agora servirá apenas como confirmação ou lembrança do que já estamos cansados de saber.

Dom Valdecir a Diocese de Brejo está localizada na região do Baixo Parnaíba que abrange os municípios de Magalhães de Almeida, São Bernardo, Tutóia, Santa Quitéria, Brejo, Santana do Maranhão, Paulino Neves, Água Doce, Araioses, Milagres do Maranhão, Barrerinhas, Urbano Santos, Belágua, São Benedito do Rio Preto, Chapadinha, Anapurus, Mata Roma, Buriti, Duque Bacelar, Coelho Neto e Afonso Cunha.

Os municípios da região do Baixo Parnaíba estão classificados como os mais pobres do Estado, com índice muito baixo de desenvolvimento humano (IDH), com taxa de analfabetismo entre as mais altas do país, com alto índice de desmatamento em função do agro negócio da soja, eucalipto e da cana-de-açúcar, deixando a região como a mais pobre do Maranhão. Trata-se de um novo latifúndio, novo, aliás, só na aparência, porque na verdade é a continuação daquele iniciado lá em 1500 a 1800, e que agora se enfeita melhor, camufla melhor, mascara melhor, mas mantêm as mesmas velhas práticas e os mesmos velhos costumes que são: apropriar-se de grande faixa de terras, expulsar trabalhadores de suas terras, arrebentar o meio ambiente e construir documentos frios em cartórios da própria região. Uma aquisição desonesta e desleal.

No que diz respeito ao aspecto político o coronelismo ainda é muito forte, o analfabetismo e a pobreza são uma correnteza que leva à compra e venda de voto, um ato claro de corrupção conforme a Lei 9.840, lei neste instante até certo ponto enfraquecida, quando meios espúrios continuam sendo usados e valendo, pois o que importa é a permanência no poder. E o pior, com a conivência ou a omissão de parte do Ministério público e do Poder judiciário.

No que diz respeito ao aspecto religioso, e observando o contexto do momento nos vários aspectos mostrados, creio que a Igreja de Brejo tem condição de ser um sinal de esperança para tantos homens e mulheres, moças e rapazes, negros e índios, crianças e jovens que buscam um lugar ao sol. Um sol que para despontar, que para raiar na vida desse povo dependerá da posição que vamos tomar frente a realidade que se apresenta.

No deserto na hora do cansaço e da sede, Moisés tomou de uma vara e ao bater na rocha fez a água jorrar. Os problemas que o Baixo Parnaíba enfrenta hoje, se desenham como uma grande rocha, uma grande pedra, que se agigantam na frente do povo dificultando suas vidas, necessitando, portanto, de novos Moisés que não tenham medo de atingi-las, de abri-las, de desferi-las não com qualquer vara, mas principalmente com a vara da palavra, com a vara do Evangelho, com a organização das comunidades e com a própria Eucaristia, para que essa realidade, no que compreende agentes e instituições, empresas e empresários se convertam em humanidade e sensibilidade e a água que neste instante tem saciado apenas um grupo e tem faltado para o outro, possa saciar e descansar a todos. Dessa maneira a solidariedade pelos pequenos e pobres não será um acontecimento que estanca nas lutas e nas reivindicações, mas, muito mais que isso, essa solidariedade será sim um ato, uma celebração, uma liturgia através da qual a consciência política e social ali adquirida, será também um ato de conversão e de espírito cristãos também ali adquiridos.

Na vossa chegada à Diocese, a mesma acaba de aprovar e publicar as diretrizes para os sacramentos. Eles são de suma importância para a organicidade da nossa pastoral principalmente no que tange aos sacramentos, e o exercício das mesmas constitui o primeiro grande passo para a nossa unidade, para a nossa pastoral de conjunto, um desafio que precisa ser atacado, que precisa ser superado.

A forma de proposição de outras denominações religiosas tem feito o cristianismo e muitos cristãos mancos, enfraquecidos, confusos. E as diretrizes diocesanas existem também no sentido de depurar, de purificar e de refinar esse cristianismo às vezes tão cheio de vícios, de dengos e de manias até mesmo dentre muitos dos nossos católicos. No entanto, as mesmas não podem ser uma mão de força que não levam em consideração a pessoa, seu contexto, sua história e sua vida. Observemos cada caso, e nos casos em que a lei só declarar o pecado da pessoa, mas não oferecer condições para recuperar a mesma, façamos uso da misericórdia, quem sabe, através dela essa pessoa possa ser buscada, acolhida, recuperada e nossa Igreja acaba de demonstrar um largo sinal de sensibilidade e humanidade.

Dom Valdecir, como apresentei acima, somos 16 paróquias e vinte um municípios, com eles nós formamos a Igreja de Brejo que ora V. Excia. assume como pastor. Uma diocese com a dimensão da nossa e com os problemas que acabamos de colocar não deixa de ser um grande desafio quanto a sua administração e sua pastoral. Sabendo disso é que neste instante em nome do nosso clero, asseguro-o do nosso apoio e colaboração no sentido de caminharmos juntos na busca de uma diocese onde seu povo, suas ovelhas se sentirão cada vez mais acolhidas e amadas, não precisando ir a outros campos ou a outras montanhas, porque aqui neste monte, tem o pasto que elas procuram e merecem depois de um dia de fadiga e cansaço: nosso amor, nossa caridade, nossa misericórdia e nossa compreensão."


segunda-feira, 30 de agosto de 2010

Novo bispo toma posse em Brejo

Dom José Valdeci
     Tomou posse, no último sábado dia 29 de agosto, o novo bispo da diocese de Brejo, dom José Valdeci Santos Mendes. A missa de posse foi precedida por uma caminhada saindo da praça Nossa Senhora de Fátima até a Catedral de Nossa Senhora da Conceição. Dom Valter e dom Valdeci seguiram de caminhote saudando a multidão de católicos que participava da caminhada.
     Durante o percurso, dom Valdeci recebeu do Prefeito de Brejo, José Farias de Castro, num ato simbólico, a chave da cidade. O momento também teve homenagens a dom Valter e saudações ao novo bispo.
Dom Valter e dom Valdeci
     Uma multidão de católicos lotou a praça da Catedral para receber dom Valdeci. Caravanas das paróquias da diocese de Brejo e outras dioceses vizinhas vieram prestigiar a posse do novo bispo. Ao final da cerimônia, houve saudações a dom Valdeci e também homenagens a dom Valter Carrijo, que se despede do comando da diocese.
     A missa de posse contou com a presença bispos de várias dioceses do Maranhão, entre eles: dom Belizário, da arquidiocese de São Luís, e dom Reinaldo Pünder, bispo de Coroatá.
     Dom Belizário agradeceu a dom Valter pelos 21 anos à frente da diocese de Brejo e pela contribuição ao Regional Nordeste 5 e deu boas vindas a dom Valdeci. Já dom Reinaldo prestou agradecimentos a dom Valdeci pelo trabalho realizado na diocese de Coroatá. O bispo ressaltou que a tristeza de estar perdendo um padre é recompensada pela alegria de ter um bispo escolhido de sua diocese. Dom Reinaldo também lembrou a vida dura de dom Valdeci antes de entrar no seminário e se mostrou feliz por ter feito parte da história do novo bispo.
     Representando o clero da diocese de Brejo, os padres Isaque (Tutoia) e Jovanês (Coelho Neto) saudaram o novo pastor da diocese. Padre Isaque apresentou um panorama da situação política, social e religiosa da diocese, reafirmando o apoio do clero diocesano ao novo pastor.
Multidão lota praça da Catedral N. S. da Conceição
     Paroquianos de Arari (MA) vieram se despedir de dom Valdeci, seu ex-pároco, e lhe prestaram calorosas homenagens.
     Ao final da celebração, dom Valdeci fez um breve discurso, em que agradeceu o apoio de todos e chamou atenção para a necessidade do trabalho conjunto em favor da justiça e dos pobres. Em alusão seu lema: “o bom pastor dá sua vida pela suas ovelhas”, o bispo ressaltou que o bom pastor é Jesus Cristo, ao qual toda a Igreja deve seguir.
     Além das autoridades religiosas, estiveram presentes na missa de posse autoridades civis de Brejo e região, entre eles: o deputado estadual Marcos Caldas, o prefeito de Brejo José Farias de Castro, o prefeito de São Bernardo Coriolando Almeida, as prefeitas de Araioses, Luciana Félix, e de Anapurus, Tina Monteles.

quarta-feira, 25 de agosto de 2010

Monsenhor Valdeci concede entrevista ao Paroquiademagalhaes e reafirma compromisso com as causas sociais


A poucas horas de sua ordenação, monsenhor José Valdeci nos recebeu na casa paroquial e gentilmente nos concedeu uma entrevista, onde falou da alegria de estar sendo ordenado e dos desafios de sua missão como novo bispo da diocese de Brejo. Veja na íntegra a entrevista:

Blog: Monsenhor, foi um surpresa para o senhor essa indicação ao episcopado para a diocese de Brejo?

Mons. Valdeci: Claro que foi uma surpresa né, porque eu vou fazer 16 anos de padre e fiz sempre minha caminhada normal. Então quando surge essa indicação sempre pra gente é uma surpresa. Mas, no entanto, acreditando na graça de Deus, a gente assume a missão.

Blog: Ao que o senhor atribui essa nomeação?
Mons. Valdeci: Olha, as pessoas quando me perguntam ao que atribuo eu digo: eu acho que não fiz nada de extraordinário. Sempre me esforcei pra vivenciar o meu sacerdócio, me esforcei, cumprindo a minha missão. Então foi nessa linha. Acho que não tem outra coisa extraordinária.

Blog: Pelo que o senhor já conhece da diocese de Brejo, quais o senhor considera os principais desafios no seu episcopado?
Mons. Valdeci: Eu diria que alguns desafios. Por exemplo, eu já refleti um pouco e já encontrei com os padres, e naquela avaliação que a gente fez entra a questão do agronegócio, a devastação das matas, também muitos trabalhadores indo trabalhar em São Paulo, deixando a família. Então, são alguns desafios que a gente percebe. Mas é claro, a partir de uma avaliação mais correta, juntamente com os padres, com os representantes de grupo, de movimento e pastorais, vamos ver algumas indicações por onde a gente possa caminhar.

Blog: Hoje é um dia muito especial, tanto para o senhor, quanto pra nossa diocese que vai receber um novo pastor. Para o senhor, qual o sentimento que traduz esse momento?
Mons. Valdeci: É o sentimento de alegria, ao mesmo tempo sabendo dessa responsabilidade que estou assumindo. Mas com certeza confio no Espírito Santo, confio na graça de Deus e, sobretudo, também na presença dos irmãos e irmãs que fazem parte de nossa diocese.

Blog: O senhor é muito conhecido pela sua luta em defesa dos pobres, pelo seu lado social. O senhor vai manter essa linha no seu episcopado?
Mons. Valdeci: Olha, eu acho que o evangelho nos impulsiona pra isso. Jesus diz: “eu vim para que todos tenham vida e a tenham em abundância”. Eu escolhi como lema o capítulo 10, versículo 11 de João: “o bom Pastor dá a vida pelas suas ovelhas”. Então, eu acho que essa é exatamente a nossa missão. Nesse sentido, diante dos desafios, não abandonar os pobres, não abandonar aqueles que a gente cuida, mas caminhar junto. Então, eu acho que é o próprio evangelho que nos impulsiona nessa linha para assumir os desafios que irão se manifestar pela nossa frente. E digo mais uma vez: não estou só. Então, confio também em cada um e em cada uma que está na diocese de Brejo.

Blog: Que mensagem o senhor deixa para nossa diocese que o vai receber agora no próximo dia 28?
Mons. Valdeci: A mensagem que deixo é exatamente essa confiança em Deus. Queremos caminhar juntos e assim acreditar que um novo mundo, que uma nova sociedade é possível, com base na palavra de Deus e no seguimento de Jesus Cristo como discípulos e discípulas.

Ordenado novo bispo de Brejo

Dom Valdeci
Foi ordenado, na noite do dia 21 de agosto, o novo bispo da diocese de Brejo, dom José Valdeci Santos Mendes. A cerimônia aconteceu na praça Nossa Senhora das Graças, na cidade de Arari (MA), diante de um público de aproximadamente 5 mil pessoas. Dom Reinaldo Pünder, bispo de Coroatá, dom Xavier Gilles, bispo de Viana e presidente do Regional NE 5, e dom Valter Carrijo, bispo administrador diocesano de Brejo, comandaram a ordenação presidida por dom Reinaldo.

A Cerimônia durou mais de três horas e foi seguida das considerações de dom Valter Carrijo, padres e agentes de pastorais, e também de homenagens de paroquianos de Arari, em demonstrações de muito carinho e admiração por dom Valdeci, que liderou a paróquia de Arari por cinco anos.

Bispos representantes das 12 dioceses do maranhão estiveram presentes na ordenação, entre eles: dom Armando, de Bacabal; Dom Franco Cuter, de Grajaú; Dom Gilberto Pastana, de Imperatriz; dom Ricardo Paglia, de Pinheiro; dom Geraldo Dantas, bispo auxiliar da arquidiocese de São Luís; dentre outros bispos do Maranhão. Também participou da cerimônia Dom Juarez, bispo da diocese de Coelhos (PI).
Rito da Ordenação Episcopal

A diocese de Brejo esteve representada por todas as paróquias. De Magalhães de Almeida, foi uma caravana de 20 pessoas de várias comunidades e da sede.

Dom Valdeci será o terceiro bispo de Brejo em sucessão a dom Valter Carrijo, que comandou a diocese durante 21 anos. A posse do novo bispo será dia 28, a partir das 17h, na cidade de Brejo.

Natural de Coroatá (MA), dom Valdeci é admirado por seu carisma, simplicidade e luta pelas causas sociais. Até momentos antes da cerimônia, monsenhor José Valdeci foi um dos que recepcionou as caravanas que vieram prestigiar sua ordenação e também esteve presente no jantar oferecido aos visitantes das outras paróquias.


sexta-feira, 20 de agosto de 2010

Irmã Maria Teresa concede entrevista ao blog da paróquia

Ela esteve aqui na nossa cidade no último domingo, dia 15 de agosto, e fez um show maravilhoso, sua última apresentação no Brasil este ano, antes de viajar para a Itália. E aproveitando a oportunidade, fizemos uma entrevista com irmã Maria Teresa, que se mostrou uma pessoa muito simples, simpática e de personalidade marcante. Confira:

Irmã Maria Teresa em Visita a Magalhães de Almeida
Claudio: Irmã, quantos anos de carreira?


Irmã Teresa: São quase 15 anos. E começou quando eu ainda estava no segundo ano de profissão religiosa. Eram dois anos que eu tinha saído do noviciado.

Claudio: Em todos os seus shows é sempre essa energia toda, essa animação?

Irmã Teresa: É isso e muito mais (risos). Hoje digamos que eu to saindo de uma semana missionária. Nós passamos esses dias em Itapecuru e já tínhamos feito shows pelo Maranhão inteiro, você pode notar pela voz meio baixa depois dos shows. É cansativo, mas a energia a gente tem que ter pra dar pra Jesus quando é necessário fazer o povo louvar a Deus.

Claudio: Você tem músicas muito bonitas e um bom tempo de carreira, mas também não aparece muito na mídia. É opção sua não querer a aparecer ou é porque você passa mais tempo fora do Brasil?

Irmã Teresa: É uma opção, porque antes de ser cantora de Deus eu sou uma religiosa e quero guardar meus princípios religiosos em primeiro lugar. E a mídia, ela faz fazer sucesso porque toma de conta da pessoa e faz da pessoa escrava dela. A irmã Teresa é escrava só de Deus. Não sou escrava da mídia. O trabalho que a gente faz é um trabalho missionário. Eu nunca quis e nunca lutei por isso. Porque se eu quisesse, eu podia ter feito há muito tempo o nome da irmã Teresa explodir em todo o Brasil. O nosso trabalho é um trabalho missionário, simples, com um povo muito simples, e pra nós não serve fama. Serve que Deus seja famoso. Se a irmã Teresa fica famosa, desaparece Deus da vida. Deus que tem que aparecer e não o nome da irmã Maria Teresa.

Claudio: Você faz shows mais aqui no Maranhão ou nos outros estados também?

Irmã Teresa: Nos outros estados também a gente faz shows. De vez em quando a gente sai atendendo pedidos de amigos do Brasil inteiro e na Itália a gente faz nos quatro cantos da Itália. Isso é uma coisa muito gratificante.

Claudio: Como é essa sua rotina atual? Vive mais na Itália? Vem sempre ao Brasil? Como é que é isso?

Irmã Teresa: Nós fazemos seis meses na Itália e dois meses no Brasil. Seis meses: um mês no início do ano e um mês na metade do ano, pra poder atender o pedido do público carinhoso que gosta de cantar e louvar a Deus com a irmã Teresa.

Claudio: O seu último show aqui em Magalhães foi há 12 anos atrás. Mesmo depois desse tempo, ao que você atribui esse carinho todo da comunidade católica de Magalhães de Almeida?

Irmã Teresa: Quando dois ou três se reúnem pra cantar e louvar a Deus, então o louvor e o amor crescem na pessoa que louva e aquele que louva junto. A irmã Teresa, em Magalhães de Almeida, como em outros lugares por onde a gente passa, é o símbolo, eu penso, que da presença de Deus. Quando a gente está em lá cima, a gente tenta traduzir com a música, com o canto, o amor que o Altíssimo tem por cada criatura humana. Só isso e nada mais.

Claudio: Se tivesse uma palavra, uma frase que traduz irmã Teresa qual seria?

Irmã Teresa: Louvar a Deus é o princípio de todo saber. E é sábio todo homem que o faz.

Por Claudio Costa
Secretário Paroquial

 

terça-feira, 17 de agosto de 2010

Irmã Maria Teresa agita em Magalhães de Almeida

15 de agosto foi um dia muito especial para os católicos de Magalhães de Almeida. Além da solenidade da Assunção de Nossa Senhora tivemos um maravilhoso show com a irmã Maria Teresa de Jesus. Quem foi a Tropical Club, com certeza não se arrependeu. Foram quase três horas de muita música e louvor a Deus, com um público de mais de mil pessoas da cidade e das comunidades da paróquia.

Foi um show sem contra-indicação. Pessoas de todas as idades se fizeram presentes mostrando a força da fé católica e o entusiasmo em louvar a Deus.
A abertura ficou por conta do grupo Som e Vida da comunidade Melancias, liderado por Mauro e Paulinha, Renato e Robertinho. Devido a um problema mecânico no carro que transportava Maria Teresa e sua banda, a irmã subiu ao palco já por volta das 21h40. A essa altura, toda comunidade, que já estava no clima de louvor com a animação do grupo Som e Vida, vibrou ainda mais com a presença da irmã cantora.
Com sua voz marcante e muita animação, Irmã Maria Teresa fez a comunidade cantar, louvar e dançar pra Deus ao som das suas mais belas canções. No repertório, as melhores músicas do seu mais novo cd, Chamados para amar, e dos álbuns anteriores: Arauto da paz, Deus Grande e Ternura materna.

sexta-feira, 13 de agosto de 2010

Diocese de Brejo se prepara para receber seu novo bispo

A Diocese de Brejo se prepara com grande entusiasmo para, no dia 28 de agosto, receber seu mais novo pastor, Dom José Valdeci dos Santos Mendes. No dia 5 de maio deste ano, o então padre José Valdeci foi nomeado pelo Papa Bento XVI para exercer o episcopado na diocese de Brejo, recebendo o título de Monsenhor até a ordenação.
O novo bispo será ordenado dia 21 de agosto na cidade de Arari-MA, sua atual paróquia, em cerimônia que começa às 16h. No dia 28, a partir das 17h, será realizada a cerimônia de posse na cidade de Brejo, sede do seu episcopado.
Nascido na cidade de Coroatá-MA, Monsenhor José Valdeci, 48 anos, estudou filosofia e teologia no CETEMA, atual Instituto de Ensino Superior do Maranhão (IESMA) e foi ordenado padre em 11 de setembro de 1994. Ele também é licenciado em filosofia pela Universidade Estadual do Ceará e tem especialização em bíblia pelo Instituto de Estudos Superiores da Companhia de Jesus, em Belo Horizonte (MG). Monsenhor José Valdeci exerceu o seu presbitério na diocese de Coroatá (MA). De 1994 a 2001, foi vigário paroquial e pároco da paróquia de São Mateus e da paróquia de Nossa senhora da Conceição, em Alto Alegre, de 1995 a 2001. Ele também é membro do Conselho Presbiteral e do Colégio de Consultores da diocese de Coroatá, assessor diocesano da pastoral familiar e coordenador diocesano de pastoral.

Com Dom Valdeci, Brejo recebe seu terceiro bispo. Criada em 14 de setembro de 1971 pela Constituição Apostólica “Pro Apostólico” do Papa Paulo VI, a diocese de Brejo foi desmembrada do território da arquidiocese de São Luís, tendo como seu primeiro bispo Dom Afonso de Oliveira Lima. Com o lema “Duc in Altum” (Conduzir ao alto), Dom Afonso tomou posse em 29 de novembro de 1971 e governou a diocese por quase 20 anos. Além do trabalho pastoral, Dom Afonso deixou como legado a Igreja de Fátima, o Centro Dioscesano, o Seminário Diocesano e as terras hoje pertencentes à diocese de Brejo.
Aos 25 de setembro de 1991 tomou posse Dom Valter Carrijo, que já havia sido nomeado bispo coadjutor em 18 de janeiro de 1989 e ordenado em 15 de abril de 1989. Dom Valter tinha como lema : “Veni ut vitam habeant.” (Eu vim para que todos tenham vida – Jo 10,10). Nos seus 19 anos de episcopado, Dom Valter procurou despertar no seu rebanho as virtudes dos primeiros cristãos, tendo como fundamento principal o amor.
Com seu lema: “Bonus pastor animam suam ponit pro ovibus” (O Bom Pastor dá a vida pelas suas ovelhas – Jo 10,11), Dom José Valdeci chega com o desafio de dar continuidade ao trabalho de seus antecessores e conduzir a diocese pelos caminhos do evangelho.

Tudo confirmado para o show da Irmã Maria Teresa

Agora é só esperar. Está tudo certo para o grande show da Irmã Maria Teresa em Magalhães de Almeida no próximo dia 15 de agosto. Alegria, louvor e muita animação são os ingredientes básicos na apresentação da freira mais animada do Brasil. Os maiores sucessos dos seus álbuns estarão no repertório do show e também as músicas do seu mais novo cd: Chamados para amar.
Esta é a última apresentação que irmã Maria Teresa e seu grupo farão em nosso país neste ano antes de partir para a Itália, sede de sua congregação. Em 2010 ela já se apresentou em São Luís e Itapecuru, dentre outros municípios.
O show será realizado no Tropical Club, com início às 20h.

quarta-feira, 28 de julho de 2010

Irmã Maria Teresa em Magalhães de Almeida

Já está praticamente tudo certo para o show da irmã Maria Teresa em Magalhães de Almeida, no dia 15 de agosto. O último show da irmã na cidade aconteceu em julho de 1998. À época a animação da comunidade católica foi total. Esse com certeza também vai marcar história. Logo teremos mais informações.

sexta-feira, 18 de junho de 2010

FESTEJOS MOVIMENTAM MAGALHÃES DE ALMEIDA

Maio e junho são meses em que a comunidade de Magalhães de Almeida entra em festa. Dois festejos reavivam ainda mais a fé dos católicos de nossa cidade: a peregrinação com a imagem da Mãe do Salvador, que encerrou dia 31 de maio, e a festa do padroeiro Santo Antônio, que começou dia 03 de junho e foi até o último dia 13.
A peregrinação com a imagem da Mãe do Divino Salvador movimentou todas as comunidades da paróquia. A saída de Magalhães de Almeida, no dia 21 de maio, mostrou a devoção que os católicos de nossa paróquia tem por Nossa Senhora. Por onde passaram, a imagem e a comitiva liderada pelo padre Oriosvaldo, foram muito bem recepcionadas. Via-se nos rostos das pessoas a alegria em receber em suas comunidades a visita de Nossa Senhora. Recepcionar a imagem e os peregrinos que a acompanhavam é motivo de festa que a cada ano se renova com a presença de Maria.
Em cada comunidade um peculiaridade, mas todas com o mesmo acolhimento e espírito mariano.

Shows

Nas comunidades de Trincheiras, Touros, Bacuri, Coqueiro e Porto de Melancias as noites foram ainda mais animadas com os shows do Grupo Som e Vida da comunidade Melancias. O grupo, que particpou de toda peregrinação, animou o percurso por onde a imagem passou. Nas comunidades onde houve shows ninguém ficou parado com as animadas músicas católicas cantadas por Mauro e Renato.


 Procissão e chegada em Magalhães de Almeida

O momento mais esperado da peregrinação foi também o mais festivo, com grandes momentos de demonstração de fá e devoção à Mãe do Salvador. Este ano, a chegada da imagem em Magalhães de Almeida contou com a ilustre presença do bispo Dom Valter, presidindo a Missa de encerramento, e dos padres Ribamar e Maurício, de São Bernardo, Isaque e André, de Tutoia e nosso pároco, concelebrando juntos.
A procissão, que partiu às 16h da Comunidade Melancias, foi uma das maiores em número de pessoas. Toda comunidade em festa cantou rezou em devoção a Nossa Senhora. O percurso de 5km não imputou nenhum cansaço aos peregrinos que acompanharam a procissão. Ao contrário, a alegria e a fé tamaram conta de todo o povo.
O padre Oriosvaldo seguiu o mesmo ritmo e caminhou com as comunidades do início ao fim da peregrinação. "Pra mim foi uma honra participar desta festa de grande devoção à Maria nossa mãe. É uma festa diferente de todas as outras por onde já passei, pois caminhamos durante dias e sempre com um espírito missionário. É como se estivéssemos refazendo um pouco a caminhada de Nossa Senhora", declarou o padre.

Ao chegar na cidade, a recepção foi digna da rainha que Nossa Senhora é. Fogos, faixas, enfim, toda comunidade reunida, juntamente com as do interior, que fizeram um esforço para estar presentes no encerramento da festa.


 O bispo Dom Valter e os demais padres também estavam esperando Maria e seguiram a caminhada pela cidade até chegar à igreja da Mãe do Salvador.

A Missa Solene encerrou a peregrinação, que foi uma as mais marcantes de todos os tempos, com a multidão lotando a praça da Igreja Mãe do Salvador.


Em sua homila, Dom Valter destacou a devoção dos católicos como um diferencial diante das muitas igrejas protestantes que renegam a Virgem Maria.
ressaltou que não devemos ter medo dessa mulher que não fez mal nenhum a ninguém, mas, pelo contrário, nos indica seu filho Jesus Cristo como o único caminho para chegar ao Pai.



Procissão de Corpus Christi inicia festejo de Santo Antônio

O dia 3 de junho reuniu num só momento duas festas: a abertura do festejo de Santo Antônio e a solenidade de Corpus Christi. A procissão seguiu da Avenida Getúlio Vargas até a Igreja Santo Antônio acompanhada pela multidão de fiéis. Na chagada, o padre Oriosvaldo celebrou a Santa Missa.
Mesmo sem a presença do pároco, pe. Oriosvaldo, que viajou em peregrinação à Itália e Terra Santa logo após a abertura, o festejo de Santo Antônio foi bastante animado, com direito a igreja lotada todos os dias. Os padres Jeovânio, de Santana do Maranhão, José Orlando, de Urbano Santos, e Valdecir Maia, de Brejo, marcaram presença em alguns dias da festa que encerrou no último dia 13 com Missa Solene e batizados.

A participação da comunidade foi honrosa e digna do santo Padroeiro da cidade.

Claudio Costa

segunda-feira, 17 de maio de 2010

Peregrinação com imagem da Mãe do Salvador começa pela sede

A tradicional peregrinação com a imagem de Nossa Senhora Mãe do Salvador, que acontece todo mês de maio nas comunidades de Magalhães de Almeida desde 1997, já se aproxima. Mas, antes de sair pelos interiores do município, a imagem está visitando os sete setores da sede. As visitas começaram no último dia 13 pelo Setor I e encerrarão dia 19 no Setor VII. Pela ocasião da passagem da Santa, é celabrada missa em cada setor, seguida do leilão.

Este ano o Pe. Oriosvaldo Bezerra está celebrando casamentos comunitários para a população de baixa renda, nos setores e nas comunidades da paróquia, durante a visita da Mãe do Salvador. Quatro casamentos já foram realizados e nove já estão previstos para os próximos dias.

quarta-feira, 27 de janeiro de 2010

Bingão São Sebastião tem nove prêmios

O tradicional Bingão de São Sebastião da igreja católica de Magalhães de Almeida está atraindo muitos participantes. O evento, que será realizado na praça do Ginásio Poliesportivo, às 14h, tem na disputa nove prêmios divididos em cinco batidas.

Na primeira batida serão sorteados um liquidificador e uma panela de Pressão. Na segunda, uma panela de pressão e uma rede solo-a-solo. O terceiro sorteio terá um DVD, uma mesa de centro e uma pipoqueira. Uma geladeira, patrocinada pelo prefeito de São Bernardo, Coriolano Almeida, completa a quarta batida. E por último acontece o sorteio de uma moto Biz, 0km, patrocinada pelo prefeito de Magalhães de Almeida, Neto Carvalho.

O evento tem ainda como patrocinadores: Credi Bem Ariago, Aurineide, Iara, Maria Kelé, Mariúda Móveis, A Credinorte e Landry Móveis.

terça-feira, 26 de janeiro de 2010

Começa o festejo de São Sebastião em Magalhães de Almeida

A procissão com a imagem de São Sebastião, neste dia 20 de janeiro, deu o pontapé inicial ao tradicional festejo em Magalhães de Almeida - MA. Com saída, às 18h, da Avenida Getúlio Vargas, os fiéis percorreram várias ruas da cidade até chegar à praça da igreja Santo Antônio onde foi celebrada a missa de abertura pelo padre Oriosvaldo dos Santos Bezerra.

Está prevista uma série de atividades religiosas durante os dez dias de festa. Padres de outras paróquias da diocese de Brejo também celebrarão no festejo, entre eles os padres Isaque Marques e André Nivaldo, de Tutoia, Ribamar Xavier, de São Bernardo, e Padre Geovane, de Araioses.

O festejo de São Sebastião é o mais tradicional dentre os três da cidade. Além deste, a paróquia comemora a festa de Maria Mãe do Salvador, durante o mês de maio, e a festa de Santo Antônio, padroeiro da cidade, no mês de junho.

domingo, 3 de janeiro de 2010

Estaremos aqui reunidos

Estaremos aqui reunidos



Estaremos aqui reunidos,
Como estavam em Jerusalém,
Pois só quando vivemos unidos
É que o Espírito Santo nos vem.

1. Ninguém pára esse vento passando;
Ninguém vê e ele sopra onde quer.
Força igual tem o Espírito quando
Faz a Igreja de Cristo crescer.

2. Feita de homens, a Igreja é divina,
Pois o Espírito Santo a conduz,
Como um fogo que aquece e ilumina,
Que é Pureza, que é Vida, que é Luz.

3. Sua imagem são línguas ardentes,
Pois Amor é Comunicação.
E é preciso que todas as gentes
Saibam quanto felizes serão.

4. Quando o Espírito espalma a suas graças,
Faz dos povos um só coração.
Cresce a Igreja, onde todas as raças
Um só Deus, um só Pai, louvarão.

Vence a tristeza

Vence a tristeza, enxuga o pranto ó meu povo
vem cantar um canto novo o Deus da vida aqui está!

Quem ama a Deus e está unido ao seu irmão
não há porque ficar com medo e sem saber
o que vai ser do mundo amanhã, quem da fome vai sobreviver.
Está em nós a luz do amor que vai vencer.

O pobre grita e o seu grito não é em vão
e todo esforço em nome dele vai valer
Deus é Pai e nós somos irmãos
o futuro é a gente quem faz
Deus é amor e quem amar sempre é capaz.